sexta-feira, 11 de abril de 2008

O mundo meu e teu.


Antes:
Que todos acreditem no meu faz-de-conta.
Depois:
Que todos que participem sejam bons atores.
Que o impossível faça parte do nosso cotidiano.
Que a fome e a dor sejam lendas que os livros contem, de um passado distante.
Que o amor seja a moeda corrente.
E que o papel-moeda seja o papel-higiênico.
Que as crianças sejam professores. E os políticos, bons alunos.
Que os livros venham de sobremesa, após a música, que será o nosso almoço e jantar.
Que os pés andem descalçados.
Que as roupas sejam leves e não apertem.
Que os bons sejam todos.
Que Deus seja meu vizinho.
Que meus amigos sejam necessariamente meus irmãos.
Que os sentimentos bons sejam cores.
Que tenhamos asas como meio de transporte
Que falemos todos a mesma língua e todas as línguas.
Que a passagem pra lá seja barata.
Que o amor que tiver seja só meu.
E eu só dele.
Que seja eterno, sem essa história de "enquanto dure".
Que não haja despedida, nem desencontro.
Acima de tudo, que você goste do lugar que criei pra nós dois.
Kamila V.

2 comentários:

Sandro Sell disse...

Prezada anfitriã:
Tenho visitado o teu blog com frequencia. Ele é um exercício de sensibilidade, desabafo e bom gosto que fazem bem ao viajante inter-blogático. Quando canso, venho aqui e relaxo.

Thanks.

nanyvv- disse...

realmente a cada dia que passa eu me assusto e me impressiono ao mesmo tempo com a sua grande capacidade de formar poemas,frases e textos maravilhosos!
eu sou sua fã minha irmã!és melhor do que muitos poetas famosos por aí!
te amo muito e continue escrevendo sempre!nunca pare!
beijos